3 dicas não convencionais para aprender a programar

3 dicas não convencionais para aprender a programar

Você saiu um pouco do Netflix e decidiu aprender a programar.

Entrou no Google e pesquisou.

Abriu alguns sites e encontrou uma tal de “lógica de programação”.

Dizem eles que se aprendê-la terá base para TODAS as linguagens de programação.

(pausa dramática)

Ser humano, você foi enganado!

Mas, calma!

Hoje é o dia que você vai aprender os paranauês corretos!

Continue lendo…

Os programadores dominaram o mundo

No momento em que escrevo este artigo, 3 dos 5 homens mais ricos do mundo são programadores: Jeff Bezos, Bill Gates e Mark Zuckerberg.

E, entre os 10, ainda adicionamos o todo poderoso da Oracle, senhor Larry Ellison.

Digo que são programadores porque isso não é algo que você deixa de ser, apenas fica um pouco enferrujado…

Os caras já colocaram bastante a mão no código em uma fase da vida!

Coding is the new black

A profissão mais sexy do mundo, segundo Harvard, é uma junção de programação com estatística (e mais algumas coisas), chamada popularmente de ciência de dados.

Como se isso não fosse o suficiente, a programação está em várias listas de habilidades do futuro!

Essa habilidade não é exclusiva para quem quer seguir a carreira de programador e serve como um diferencial poderoso para outras profissões.

Um analista financeiro que sabe criar os seus próprios scripts em VBA vale ouro no mercado!

Ok, você já sabe que coding is the new black!

Chega de enrolação — vamos às dicas!

3 dicas para aprender a programar (sem enganação)

No episódio #5 do meu podcast, o Simplificando, tive um papo com o meu amigo Marcelo Camargo, um rapaz de 22 anos que desenvolve linguagens de programação (um nível acima do programador normal).

O papo foi bem improvisando, ainda estou pegando o jeito desse negócio de podcast, mas dali saíram alguns insights riquíssimos!

Confira três tesouros do episódio logo abaixo!

1 – A tal lógica de programação não existe

A conhecida “logica de programação” é um recurso didático para um paradigma de programação específico, o estruturado, mas existem pelo menos outros 100 paradigmas.

Ou seja, ela não serve para TODOS, como muitos dizem.

Obviamente, alguns paradigmas são mais conhecidos que outros, como orientação a objetos, funcional e o estruturado, já mencionado.

Isso pode parecer frescura para algumas pessoas, mas não é!

Ter essa noção é importante, ainda mais pela ascensão de outros paradigmas no mercado.

Empresas como o Facebook, Nubank e Xerpa estão investindo forte no desenvolvimento em linguagens funcionais.

E, a orientação a objetos já é utilizada em centenas/milhares de empresas.

Reforçando: a super lógica de programação que serve de base para tudo non eqsiste!

2 – Como escolher uma linguagem de programação para começar

E aí, o que você quer fazer?

  • Um site para sua empresa?
  • Um app que roda em todos dispositivos para controlar suas contas?
  • Um app para Android?
  • Um app exclusivo para Apple Watch?
  • Coisas eletrônicas com Arduino?

Antes de pensar na linguagem A ou B, avalie o que você quer fazer e qual problema deseja resolver.

Existem linguagens mais adequadas para cada situação.

Você não deve ficar preso em uma linguagem e existe muito valor de mercado em conhecer mais do que uma.

Dei um exemplo no podcast que deixa isso bem claro. Leia abaixo com atenção!

Imagine que você queira derrubar uma parede.

Isso é fácil ou difícil?

Depende!

Com uma colher é bem difícil, com um martelo é um pouco mais fácil, mas com uma bola de demolição é moleza!

Pense em programação da mesma forma!

3 – Você pode gastar nada ou quase nada para aprender

O mundo da programação é particularmente legal!

A maioria das linguagens de programação tem grupos online de pessoas que tiram suas dúvidas na camaradagem (se não for algo extremamente googlável).

Só procurar no Facebook, Slack e Discord…

E, além disso, existe um site maravilhoso para tirar dúvidas: Stack Overflow.

Se você não conhece, procure ele assim que acabar de ler esse artigo – já vi gente dizendo que metade do salário deveria ficar com o site! Haha

E também, se você quiser conhecer pessoas dos códigos pessoalmente, entre no site Meetup e procure os encontros de programação da sua vizinhança.

Sei que nem todo lugar tem meetup, mas pelo menos em cidades grandes é comum encontrar algum grupo de programação.

Dê uma olhada nos eventos do Facebook e no Sympla também!

Para aprender do zero, existe muito material gratuito a uma googlada de distância. Só buscar por tutoriais, documentações e cursos das linguagens de interesse.

Tem muita coisa no Youtube!

E, além dele, tem alguns sites que possuem cursos gratuitos ou por um precinho camarada!

Entre outros!

Fechando o assunto

Programar é importante para a carreira, além de ser algo muito divertido de se fazer!

Espero realmente ter ajudado você a seguir por esse caminho sem tropeçar tanto, apesar que quebrar a cabeça faz parte!

Se tiver qualquer dúvida, só deixar um comentário. Eu aprendi a programar lá em 2003, já brinquei com uma dezena de linguagens e, caso sua dúvida esteja acima do meu nível, sei a quem recorrer! :)

Vamos programar!

Robson Cristian

O cara que criou esse blog! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *