4 grandes lições de negócios que tirei da dança

4 grandes lições de negócios que tirei da dança

Acredite ou não, já dancei. Isso foi há uns poucos anos e cheguei até a participar de festivais. Entrei em um grupo, fiz bastante aula, ensaiei pra caramba, tudo certinho como manda o figurino (ba dum tiss). Não era ballet, jazz e nem dança de salão. O meu negócio eram as danças urbanas que alguns chamam de dança de rua, mas não entraremos nessa treta agora…

A dança me ajudou a ser uma pessoa mais tranquila, mais empática e menos trator. O povo das artes é diferente do povo dos negócios, do povo das startups. Um precisa do outro e a junção pode gerar, quem sabe, alguns stevejobs.

Aprendi muito com o mundo da dança, inclusive muitas lições que servem para os negócios. Pensei por alguns dias sobre isso e separei 4 que são fundamentais. Confira:

Ensaio, ensaio, ensaio

Os grandes dançarinos/bailarinos fazem parecer fácil. Os movimentos são tão fluídos que parece que apenas deixam a natureza seguir o seu caminho. Essa é uma coisa muito bonita de se ver. Porém, para isso acontecer, é necessário muito muito muito ensaio/treino/whatever!

Mesmo alguém como o Baryshnikov (não joguei no Google para escrever o nome dele #queorgulhodemim), precisa de muito ensaio. Na verdade, vi que os melhores são até mais dedicados do que os outros. Não existe bailarino excelente sem uma carga enorme de treinamento. Grandes dançarinos são como atletas de elite.

No palco é diferente

No mundo dos negócios, é comum termos que fazer algumas apresentações importantes durante a vida profissional. Isso é como os bailarinos que participam de festivais e espetáculos. Tanto em um mundo como no outro, é possível notar a diferença que dá quando chega a hora da ação.

Uma coisa é estar na sala de treinamento ou na passagem de palco, outra é realmente estar no palco com um teatro lotado. A única solução que encontrei nessa época foi treinar muito e aceitar o frio na barriga como algo natural.

Se tem medo, vá com medo! Isso serve muito bem para o mundo dos negócios!

A importância de ser sustentável

Um grande problema do mundo da dança, falo mais especificamente em relação aos espetáculos e companhias profissionais, é se manter. Diferente da música, não há público de dança no Brasil.

Salvo exceções, há dançarinos no palco e na plateia, além é claro, de familiares e amigos. Se as companhias dependessem apenas de bilheteria, estariam em maus lençóis. Já fui em alguns espetáculos de ótimos grupos que estavam praticamente vazios. Isso é bem triste!

Desde essa época, eu vi que independente do negócio é fundamental conseguir pagar as contas e não depender de editais, leis de incentivo e patrocínios. Você pode ficar sem eles e aí a coisa fica feia!

Isso se aplica ao mundo dos negócios também. Depender do governo ou de poucos clientes, é um risco que muitas empresas correm e o motivo que outras tantas já quebraram.

Você pode ser um famoso desconhecido

Esse é um negócio muito interessante! Agora chamamos de micro-influência e bla bla bla, mas eu já tinha visto isso na prática no mundo da dança há uns 8 anos. Provavelmente você conhece o Michael Jackson e o Will Smith, certo? Mas, será que você já ouviu falar do Buddha Stretch que coreografou “Remember the time” e “Man in Black”?

Isso é muito comum no mundo da dança, você pode viajar o mundo, ganhar todos os festivais, coreografar os cantores mais conhecidos do mundo e até participar de filmes em Hollywood sem ficar famoso! Existe uma série de profissionais da dança que você deveria conhecer: Frank Ejara, Ricardo Scheir, Tíndaro Silvano, Bia Mattar, Octávio Nassur, entre outros.

O grande ensinamento disso é que você não precisa ser famoso, ser uma celebridade, para gerar um grande impacto. O que importa é o seu nicho. Lá é que você precisa fazer a diferença. Querer ser uma celebridade está muito mais ligado ao ego/vaidade do que qualquer coisa.

Fechando…

Um grande artista pode fazer conexões que todo poder computacional do mundo nem chegaria perto. É um pouco difícil de explicar com palavras, mas quando você vê, entende do que estou falando.

Sou apaixonado pelo mundo da dança e ontem reativei o site que mantinha com alguns amigos. Convido você a conhecer o Dance Cast e também a conhecer um pouco mais desse mundo da dança.

O mundo dos negócios precisa da arte e a arte precisa do mundo dos negócios. Aqui vou trazendo um pouco de arte e lá levarei um pouco de negócios. Acredito que assim conseguirei cumprir a missão de incentivar a divulgar a dança pelo Brasil e simplificar os negócios.

Você gosta de dança? Acompanhe o Dance Cast no Instagram, Youtube, Facebook e Twitter.

Robson Cristian

O cara que criou esse blog! :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *