Software Livre: O Que É, Exemplos, Vantagens e Desvantagens | Simplificando | T1 - E2

Simplificando

Software Livre: O Que É, Exemplos, Vantagens e Desvantagens | Simplificando | T1 - E2

Robson Cristian
Escrito por Robson Cristian em 12 de novembro de 2018
Junte-se a mais de 7 mil pessoas

Entre para a minha lista e receba conteúdos exclusivos, com prioridade

Neste episódio, conversei com o Dionatan Simioni (Diolinux) sobre Software Livre. Confira como foi esse papo!

► Saiba mais sobre o convidado:
Site: https://www.diolinux.com.br/
Canal no Youtube: https://youtube.com/Diolinux
Cursos: https://ead.diolinux.com.br/home/
Loja: https://www.diostore.com.br/
Instagram: https://www.instagram.com/dionatan_simioni/
Facebook: https://www.facebook.com/blogdiolinux

Gostou desse episódio? Confira toda quarta-feira ao meio-dia um novo episódio do Simplificando!

Transcrição

Robson: Este é o segundo episódio do Simplificando e eu estou aqui com o Dionatan, também conhecido como Diolinux.
É um cara que eu conheço faz um tempinho já salvou muito a minha pele com os os artigos do blog dele. Eu vou deixar ele se apresentar um pouco mais para a gente começa o papo sobre software Livre.

Dionatan: Obrigado pelo convite para participar aqui como você já deu uma introduzida no assunto eu sou um dos editores não o principal do blog Diolinux e o criador também do canal Diolinux no qual eu venho me dedicando um pouco mais firmemente ao longo dos últimos anos e a ideia do nosso projeto sempre foi falar de Linux de uma forma bem coloquial até dá para se colocar de uma forma leiga e acessível para mostrar para as pessoas o quanto de tecnologia elas estão perdendo caso elas não conheçam esse universo.

R: E como começou esse mundo de Linux e software Livre?

D: Eu comecei mesmo por acaso na verdade e acho que a maior parte das pessoas toma contato com o Linux pelo menos até alguns anos atrás era assim quando tentava estudar algo pouco mais técnico então meu primeiro contato que foi em um curso técnico justamente, Tinha aulas de sistemas operacionais e uma das matérias era sobre formatação de Windows, Linux, Mac Os e como funcionava as coisas como é que esses sistemas trabalhavam, logo então tinha uma matéria envolvendo Linux. Apesar de ter sido meu primeiro contato com esse universo não foi onde eu me apaixonei pelo Open Source se não foi para onde o meu apaixonei por esse Universo de tecnologia isso aconteceu algum tempo depois quando eu percebi que eu estava utilizando um computador com muitos softwares pirateados (Windows pirata, Office pirata) tudo na verdade e eu tinha pouca coisa que de fato era original e eu tinha um computador que vivia tendo problemas que eu tinha que formatar constantemente e enfim não sentia segurança naquilo eu gostava muito de personalizar o visual também das coisas e aí pesquisando como eu poderia ter essas minhas necessidades atingidas é que eu cheguei no mundo Linux em um lugar onde você tem maior segurança que você não precisa temer tanto assim os vírus ainda que não seja Inviolável de um todo 100% um lugar onde eu possa personalizar muito o sistema, enfim uma plataforma que eu possa pudesse me sentir confortável e confiável sem precisar gastar nada com isso com todos os softwares originais.

R: Assim você já trouxe um pouco da definição do que é o software livre. Eu não tenho que gastar dinheiro não sei se todos os filmes são gratuitos mas os que você usava eram gratuitos E isto é bom e também o que é personalizável assim com as outras características, o que é um software livre?

D: Aqui por mais que a gente não queira falar muito o “tecniquês”, a coisa realmente vai mais para o lado técnico. O software ser livre ou não, não diz nada a respeito do preço dele. O software livre não é necessariamente um software gratuito. Você pode ter só open source que é uma designação que se usa, Open Source do inglês é código-fonte aberto, a gente pode traduzir de uma forma simplória assim, não tem nada a dizer a respeito de preço, então eu posso fazer um software que seja livre e que seja pago.
O termo livre ou free software em inglês que é confundido com software grátis, por isso que o pessoal começou a botar o open source diferenciar um pouco as coisas justamente diz respeito ao código fonte dos programas aquilo que o programador escreve e depois transforma na aplicação que as pessoas utilizam.
No software open source ou de código fonte aberto ou um software livre ele é um software que tem esse código justamente exposto ao público que pode ser consultado pode ser modificado por qualquer um e ele não tem propriedade intelectual, ou seja, eu não preciso pagar para você ou pedir licença para usar este programa eu posso simplesmente baixar o código-fonte e fazer alguma modificação que eu queira ou simplesmente redistribuir para as outras pessoas de forma gratuita também.
Tem várias licenças open source, mas não cabe ao caso indicado aqui nesse assunto, mas é bom que as pessoas entendam open source tem a ver com o código-fonte e não com preço e nem com a qualidade do programa que você vai encontrar softwares open source gigantescos e muito bons, como por exemplo, que a Pixar usa para fazer filmes e você vai encontrar open source que não são tão bons assim como se encontra o contrário. São os softwares proprietários que a gente chama. São propriedades de uma empresa e não são abertos ao público, você não sabe o que eles fazem realmente e você só vê a camada final, que é o que a empresa dá o contato ao usuário, um exemplo dentro deste segmento é o Windows, ele é um software proprietário. Você instala no seu computador e você não sabe exatamente como ele funciona e nem o que ele está fazendo por trás dos panos, você simplesmente vê a interface. Ao contrário disto, os Linux que é com ao gente chama os sistemas operacionais que usam este cânon, como algumas populares como o Android, Linux eles tem o código fonte aberto para consulta e então teoricamente uma das vantagens, uma característica que você tinha pedido é isto ser mais seguro justamente por poder ter mais pessoas colaborando em cima daquele software que as pessoas estão utilizando.

R: Você disse pessoas colaborando. Nem todo mundo trabalha para empresa e ou está ganhando dinheiro por contribuir com software livre. O que faz as pessoas quererem contribuir, gastar horas e horas programando, traduzindo todos esses trabalhos que envolvem o open source?

D: Eu acho que faz parte de dois aspectos. A gente pode falar sobre o aspecto pessoal e do aspecto profissional ou empresarial .
O software open source é utilizado como fonte de renda para muitas empresas gigantes eu falei do Android , que é da Google. Então a gente sabe o quanto a Google é bem sucedida nos buscadores, Youtube, eu não sei onde você está assistindo e ouvindo esse conteúdo aqui por exemplo, mas muito provavelmente os servidores de Spotify, Vimeo, seja lá o que for e em alguma Instância têm Linux envolvido. Software open source tem algum tipo de plataforma assim. Vamos diferenciar os usuários comuns e domésticos das empresas primeiro.
O que leva uma pessoa individualmente a colaborar com o projeto open source qualquer seja Linux ou qualquer outro programa como Firefox, que também é um software open source navegador muito provavelmente é querer melhorar aquele software para si mesmo e para as pessoas que estão ao seu redor. Talvez exista também um nível de satisfação pessoal, pessoal que está fazendo algo para comunidade e é muito interessante essa lógica, a comunidade de usuários que eu digo, eu uso um software que eu muito, o Gimp para editar imagens do Audacity, eu posso colaborar com os desenvolvedores seja com códigos, seja com dinheiro, seja divulgando por exemplo para que ele se tome mais notoriedade e assim as melhorias implementadas vão voltar de volta para mim eu vou poder utilizar este software gratuitamente. É uma das vantagens e outras pessoas vão poder tirar proveito dessas vantagens trabalhando em cima disso E claro também se você é programador por exemplo ou tem alguma inspiração nesse sentido, hoje em dia é visto que muitas empresas olham a quantidade de códigos que você produziu e não seu currículo escrito no papel, então colaborar com o projeto de código aberto é uma forma de mostrar o quanto você sabe o quanto você sabe trabalhar em grupo.
O quanto você tem capacidade técnica para desenvolver um projeto sério e assim por diante.
Do ponto de vista empresarial é meio que um novo passo de acordo com o mercado tradicional é o novo passo em rumo a uma tecnologia mais avançada ou a prestação de serviço mas diferenciada porque, por exemplo, antigamente vamos voltar no tempo nos anos 80 por aí a gente tinha basicamente Microsoft Apple, fornecendo sistemas operacionais e algumas outras empresas de hardware mas vamos focar aqui no sistema operacionais antes do Linux chegar lá em 91, então você tinha dois sistemas e você dependia do que uma empresa queria fazer do que a outra empresa queria fazer e aonde as pessoas poderiam chegar desenvolvendo seus projetos é delimitado pela capacidade de sistemas, por exemplo a maior parte das pessoas, eu e você, a gente utiliza os computadores para produzir algo ou para operacionalizar uma ferramenta que você usa para te ajudar a atingir o seu objetivo Então você dependia do que outras empresas te davam como ferramenta para você conseguir elaborar algo e o seu projeto vai ficar em cima disso. Com a chegada do Linux essa ideia ainda se mantém, mas existe uma grande diferença porque não nós temos a parte básica e essencial do sistema a base sólida onde o todo mundo pode ter acesso e começar a construir diferenciais em cima de um padrão muito mais alto.
Essa é basicamente a ideia existe uma Fundação chamada Linux Foundation Essa é a Fundação que ajuda a organizar o desenvolvimento do Kernel Linux que começa a ficar técnico demais mas assim, o Linux não é um sistema operacional completo para se dizer tem vídeo no canal lá falando a respeito desse assunto é um pedaço do sistema. E eu costumo comparar com carros para as pessoas entenderem; enquanto o Mac Os e o Windows são carros completos, o Linux é o motor do carro. É mais ou menos essa lógica e por que não pegar e todo mundo poder utilizar um motor gratuito, poderoso e robusto e começar a fazer o seu carro em torno desse motor já que sabemos que ele funciona muito bem.
Então a Linux Foundation tem e também recebe doações gigantescas anuais de grandes empresas de tecnologia para desenvolver e dessa forma e se você procurar na internet Linux Foundation membros Platinum por exemplo lá você vai encontrar grandes empresas incluindo a própria Microsoft que também utiliza e projetos acho que é uma explicação não tão simples assim quanto eu gostaria de ajudar mas é que realmente não é super simples.

R: Acho que ficou bem claro e você me lembrou outra coisa que não existe só software livre tem também hardware livre, então, do exemplo do motor eu lembrei do Arduino, colocando sensores, colocando outros equipamentos

D: Tem muito hardware por ai, Apple, de novo para citar uma grande companhia muito popular, mas você não sabe exatamente como o IPhone funciona, por mais que você abra tenha módulos de memória, processadores, você não sabe como aquele chip trabalha, o hardware livre tem essa ideia também ele é todo documentado para você entender como ele faz as chamadas como que cada bit vai pra cada lado, vamos dizer assim para ficar simples e as pessoas podem criar novas implementações de fazer com que aquele hardware trabalhe de uma forma que ele não foi originalmente planejado para assim é o software livre também e assim é o Linux. Ele não tenho um propósito específico, você pega o Linux e transforma que você precisa que ele faça.

R: E vendo assim é até perigoso você não usar um software que seja livre que você não sabe que tem ali você pode começar a pensar em problemas que existem para você não saber que tem embaixo do capô.

D: Sem dúvida, na verdade é uma questão de gosto muitas vezes porque vai ter gente que vai preferir determinado software e ele não é livre. Ele faz o que eu preciso fazer, mas sempre que possível é melhor você ter uma ferramenta que não dependa de um terceiro.
É uma coisa obvia, você não vai querer construir o seu castelo no terreno de outra pessoa.
Recentemente eu dei uma palestra a respeito de empreendedorismo e uma coisa aqui que é empreendedorismo relacionado ao Open Source e como você pode usar ferramentas para tal e uma das coisas que eu lembro que eu comentei para alguém que tinha dúvidas a respeito de porquê utilizar o programa tão importante assim eu dei o exemplo da Adobe, a gente sabe o quanto é uma empresa competente e quanto os softwares como o Photoshop, After Effects, Audition, etc foram e são importantes para a indústria de produção de conteúdo multimídia não há como negar a qualidade que estes softwares têm, eles são excelentes, mas a partir do momento que você se torna, vamos colocar um termo pejorativo, um photoshopeiro, um cara que só consegue trabalhar com Photoshop mudou a ferramenta e ele se perdeu porque ele não tem conhecimento de designer Às vezes você literalmente tá dizendo que para o resto da vida para você trabalhar nessa profissão você vai precisar primeiro de um software que não é seu e você tem que pagar a licença ou piratear o que seria pior e você também vai depender de um sistema operacional que rode ele, sendo gratuito ou não. No momento atual para você trabalhar com Photoshop você até consegue instalar no Linux de algumas formas assim extraoficiais mas de forma oficial você vai precisar de um Windows ou você vai precisar de um Mac e uma licença da Creative Ecologie .
Tem um valor x aí embutido nisso e você pode até achar que não é muito mas para quem está começando uma agencia faz diferença. Enquanto que se você tiver um software open source você pode construir de repente as mesmas coisas tecnicamente de uma forma diferente como você interage com o programa, mas o resultado é tão bom quanto e você por outro lado não vai depender de nenhuma empresa.
O software é literalmente seu e esse é um ponto interessante de frisar quando é livre. Você pode baixar para o computador ele é seu você pode distribuir para outras pessoas que podem modificar, vender para alguém e se você quiser desde que dentro dos devidos direitos autorais para quem criou a base prévia na qual você se baseou.

R:As pessoas estão acostumadas com a comodidade do Windows e grande parte e daí chega no Linux ou chega na ideia de mudar para ele e se assusta. Muda muita coisa, tem versões do Linux ou distribuições mais próximas do Windows? Pacotes de escritório mais próximo do Office? Tem como a pessoa viver só de software livre?

D: É uma questão ótima Robson e uma questão ampla também. Para o entendimento eu acho que eu tenho que fazer uma volta um pouco maior se você me permite bom a questão de ser fácil ou difícil é óbvio que se você parar para pensar no assunto fácil ou difícil é muito relativo ao seu conhecimento prévio sobre qualquer assunto. Eu até hoje acho meio complicado descascar laranja, por exemplo, mas tem gente que tem habilidade nisso, então fácil ou difícil é diferente, basta avaliar o conhecimento que você tem previamente, dito isso você provavelmente e quando eu digo você eu estou generalizando para o usuário de computador tem mais intimidade com Windows porque você foi apresentado a tecnologia ao computador pelo Windows. Você utilizou por muitos anos o Windows e provavelmente são raras as pessoas que fogem deste cenário, incluindo eu mesmo, para depois ter um contato com o Linux e ter mudar de repente e se adaptar a essa nova realidade, você provavelmente e muitos de vocês fizeram cursos envolvendo Windows nem que não seja cursos de Windows, mas aquele curso básico de informática que era comum anos atrás. Às vezes você fez um curso de qualquer outra coisa que envolve o Windows e o professor usava Windows, e são referências que você vai pegando e o hábito de usar todo dia faz com que pareça simples coisas na verdade não são necessariamente simples basta você comparar colocar para alguém que nunca mexeu nenhum dos dois e dizer para mexer. E falando sobre a parte de usabilidade e das distribuições o Linux como você bem observou, ele não é um sistema completo e quando uma empresa ou uma comunidade de desenvolvedores e programadores de usuários resolvi pegar o kernel e colocar coisas no entorno como uma interface gráfica para você poder clicar, programas software, Firefox, Google Chrome ou Library Office ou qualquer coisa assim, a gente tem algo que nesse meio chama de distribuição. Você monta um sistema operacional e entrega, então a gente chama de distros Linux, distros baseados em Linux.
É uma distro baseada no Linux e o nome do sistema operacional é o Ubuntu mas ele usa o que é o nome do sistema operacional Android, mas ele uso o Cameron Linux e assim por diante. Dentro desse universo existem muitas possibilidades diferentes como só o Open Source pode ser livre permite que as pessoas entrem e modifiquem e quanto mais o tempo passou mais as pessoas criaram em modificar. Então hoje você tem várias distribuições focadas e públicos diferentes especializadas para atingir determinados tipos de cargas de trabalho. Você tem distribuições focadas em servidores, você tem distribuições focadas naqueles quiosques de cinema, por exemplo, você tem distribuições para rodar no seu relógio, no seu célula, no seu tablet, você tem distribuições para controlar a porta da sua garagem e você tem algumas para rodar seu computador também.
Dentro dessas você vai ter visuais diferentes de interface algumas mais familiares para quem usa Windows, com a barrinha embaixo e outras vão ser um poucos diferentes que lembram talvez um workflow de uma smartphone e tem outras que vão mesclar esses elementos e você mesmo pode customizar a vontade, realmente são muitas opções.
Tomando como base uma distribuição que eu costumo recomendar para quem é novato e justamente pela familiaridade com o Windows, o Linux20, que é uma distribuição derivada do Ubuntu, inclusive, você consegue literalmente utilizar sem problema algum.
Aquele mito de que tem que usar terminal, dar comandos, é coisa de quem parou de estudar Linux há 10 anos atrás no mínimo é e capaz de ser bem mais que isso até. Você consegue instalar as aplicações através de uma loja de aplicativos igual você tem no Android, você tem no IOS, isso virou tanta moda que até a Microsoft incluiu nas últimas versões do Windows também e tem também a loja do Windows, a Windows Store.
Sobre o Office você também tem muitas opções e de fato o Microsoft Office específico você só consegue utilizar aquele modo online. No entanto você consegue usar Google Docs tranquilo só precisa de um navegador do libre office para quem gosta do visual do Office da Microsoft, compatibilidade WPS Office, Softmaker, Office, Only Office e assim por diante.
E o mais legal é que geralmente esses programas são grátis. Não necessariamente open source, mas eles são grátis. Alguns são e outros não, o libre office é um que costuma vir com várias distribuições instalados por padrão então você já tem uma suíte Office gratuita que chegou aí junto com seu sistema completamente acessível assim.
R: É a compatibilidade desses Offices mais usados no Linux? São boas com Microsoft Office? E pra trabalhar com outras pessoas compartilhando arquivos?

D: Sim você pode trabalhar hoje tranquilamente com outras pessoas que utilizam o próprio Microsoft Office, só não vou dizer que a compatibilidade é 100%, o que é meio proposital por mais que o formato docx ele tenha padrões xml abertos e estou falando grego para algumas pessoas, já é possível de ler por outras aplicações como o próprio Libre Office inclusive existem elementos que são não são open source no Office da Microsoft é um programa proprietário e são justamente os proprietários que fica complicado de transcrever para um formato aberto por conta do Microsoft Office.
Então se algum documento que você criou no Microsoft Office agora não abre numa outra suíte qualquer a culpa é de quem, quem mandou fazer o documento lá, por isso que eu costumo dizer o seguinte, independente do sistema que você use pode ser Windows ou pode ser o Office existe um padrão internacional chamado odt para textos inclusive está nas normas da ABNT aqui no Brasil, que é open document format (odf) e você tem esse mesmo padrão para apresentações e planilhas. Esse padrão consegue ser aberto por qualquer aplicativo do universo que queira abrir, incluindo o Microsoft Office. Então então se você fizer os seus documentos e salvar em odt, seu documento de texto, por exemplo, vai que você tá fazendo isso lá no seu TCC e você vai querer abri o arquivo da qui há dez anos, o único jeito de você garantir que isso seja possível é salvando no formato aberto. O problema é que o padrão do Office não é esse justamente para que as pessoas tenham que usar o Microsoft Office, e quando as pessoas utilizam pirateado acaba surgindo no mercado vários arquivos neste formato que só vão abrir direitinho muitas vezes no programa da Microsoft.
Mas o problema tá muito minimizado hoje em dia, são situações bem específicas talvez que você pode ter algum tipo de dificuldade, mas certamente dá para utilizar e é altamente recomendado que seja utilizado formatos abertos, ainda que você use o Windows ou o Office.

R: Eu sou da época que a Microsoft era o arqui-inimigo do software livre e tinha aquela briga em 2005/2004, mas eu vejo agora de uns três ou quatro anos pelo menos, a Microsoft abrindo código, comprando empresa que apoia o movimento software livre. Porque a Microsoft está fazendo isso na sua opinião?

D: Porque na cabeça das cabeças seja legal ter essa dualidade, algo que combater por exemplo, temos gente dos dois lados que gostam muito do Windows, mas odiava o Linux por que era contra a Microsoft. A Microsoft é uma empresa que simplesmente busca o lucro como toda empresa. Então chega aquele momento que você vê que todos os seus inimigos do mercado, todos os seus concorrentes estão usando aquela, aquela que eu falei, todo mundo usando um motor poderoso e colaborando para ele ficar cada vez maior e melhor e só gente insistindo nisso. Eles resolveram já que não pode vencê-los junte-se a eles. E aí ao invés de concorrer e criar uma tecnologia e gastar muito e desenvolver algo assim, a gente usa esse também e coloca o nosso serviço em cima disso. Eu não me surpreenderia se no futuro o Windows, por exemplo, para falar a verdade eu me surpreenderia sim, mas eu até suponho que possa acontecer do Windows no futuro trocar de kernel e usar o kernel livre.
Continua sendo Windows, mas uso o Linux como kernel, continua sendo o carro da Microsoft mas o motor é Linux, mudou esse formato. Nesse dia a cabeça de muita gente vai explodir.
A gente não sabe realmente se vai acontecer ou não, mas hoje em dia existe o segmento da indústria, inclusive lá na Udemy mesmo tem muitos cursos bons nesse sentido que fica meio escondido, mas é onde o grosso do dinheiro costuma andar que a parte de infraestrutura

Enquanto a gente tá preocupado em ver se o Facebook está acessando rapidinho quem ganha dinheiro é quem está fornecendo a estrutura para que o Facebook entre rapidinho. E
Nestes segmentos, as empresas que usam Linux, em softwares open source, geralmente tem muita vantagem e elas tem um mercado gigantesco e era onde a Microsoft estava perdendo porque eles não conseguiram entrar no mercado de dispositivos móveis propriamente, tanto é que eles basicamente resolver usar o Android e também vão colocar produtos da marca Microsoft encima do Android. Os smartphones Microsoft vêm com Android mas eles vêm com Bid no lugar do Google, Outlook no lugar do Gmail, etc., é a mesma coisa que aconteceu com a parte dos servidores apesar do Windows Server ter suas qualidades, a grosso modo é mais vantagem usar Linux, pois é gratuito, maleável e é mais robusto, mas estável de uma forma geral. Então ao invés de criar um Windows diferentão e ter que trabalhar muito, eles fizeram assim, vamos usar o Linux para a gente também já que não é de ninguém e qualquer um pode pegar e aí eles fazem um serviço em cima deles, ao invés de criar rixas,
Eles criaram parcerias. É uma atitude inteligente de uma empresa e é por isso que tá indo nesse caminho, e o desktop está cada vez menos usado, ele é menos relevante assim ao ponto de que completamente você pode utilizar qualquer sistema operacional, o Mac, Windows ou Linux. Hoje em dia você consegue usar 90% das aplicações dos três e com raríssimas exceções você não vai conseguir. Acredito que seja por isso simplesmente para não perder mercado, que já saiu meio atrás então se não se adaptasse ao padrão do mercado ia ficar cada vez mais atrás.

R: Falando de Mac. O Mac também tem alguma familiaridade com o mundo Linux, Inox, tem alguma coisa na raiz dele? Voce comentou que o Windows seria incrível mudar o kernel dele

D: Digamos que é um pouco diferente na verdade, porque o Linux e o Mac sejam primos distantes algo do tipo. Porque ambos são padrão Linux e o pessoal as vezes acessa as pastas de diretórios do Android, do Linux ou Mac mesmo e começou a ver umas coisas muito loucas tipo/appc, /home ou /sis e aí vai no Windows é disco C. O Windows é o único sistema do universo que funciona desse jeito, ele é exceção a essa regra dos Linux.
No caso do Mac, ele não é do Linux, ele é do BSP, como se chama a verdade. O Kernel do Mac se chama Darwin e se eu não me engano, hoje em dia ele é open source também.
O que prova que você pode utilizar o Kernel open e uma camada proprietário em cima.
Talvez isso completasse no caso para o Windows porque as licenças do Linux não permitem que você utilize as coisas desse jeito sim tem que dar uma estudada mais a respeito disso não consigo te dar uma resposta precisa nisso, mas o BSP é bem mais liberal lá. Mas ambos são Open Source.

R: É muito legal ver o quanto que o software livre tem influenciado a nossa vida e a gente não tem nem noção do quanto que tem coisa que a gente usa mesmo proprietário que tem lá uma raiz que não é proprietária ou que tá usando internet e no fundo lá tem Linux, tem Apache, tem servidor web.

D: Muito da popularização do Linux foi por causa da internet, eu não digo que a internet para divulgar o Linux, mas provendo a internet, como servidores web porque quando o boom da internet aconteceu nos anos 90 quem estava lá para atender essa demanda era o Linux, gratuitamente de uma forma mais acessível.

Porque imagina se para rodar qualquer site ou serviço você precisasse pagar uma licença e como mais caro as coisas seriam e essa empresa que é dona dessa licença seria a empresa mais rica do mundo.

R: É muito incrível e a gente não tem como viver sem usar o software livre de alguma forma?

D: Você pode até usar o Windows no seu computador, mas de alguma forma, direta ou indiretamente você vai usar um software livre.

R: Eu vi essa semana ou na semana passada software livres da Nasa e eu achei incrível. Ela colocou um painel todo que ela usa para a comunidade contribuir. Tem muita empresa assim abrindo códigos e aceitando ajuda da comunidade.

D: Existem vários locais onde é conveniente você liberar o código-fonte por que não é fator decisivo da sua empresa, muitas vezes. Por exemplo, imagine o seguinte você tem um aplicativo que faz algo muito miraculoso e você provavelmente vai pensar. Eu não vou liberar o código-fonte disso porque justamente esse código é o maior trunfo no mercado, e eu acho que é perfeitamente compreensível essa ideia. Não vou dizer que eu sou contra nem nada, eu entendo, é uma forma diferente de trabalhar, mas por outro lado o servidor na qual o meu aplicativo se conecta para ler o banco de dados por exemplo, ou algo assim, não é uma tecnologia minha necessariamente ou ele é uma tecnologia que eu criei, mas enfim se outras pessoas utilizassem o mesmo servidor o trunfo ainda está no meu aplicativo, no meu serviço e será que não seria uma boa ideia expor o meu código fonte da aplicação do lado do servidor para que outras pessoas possam olhar, ajudar e melhorar e assim eu vou ter benefícios na minha aplicação. É basicamente essa lógica do Linux, é o software base da coisa que dá sustentação para o restante.
Claro que existem softwares open source em vários sentimentos diferentes, mas você falou da NASA é um exemplo bom. Tem distribuição de Linux controlando satélites, fazendo previsão do tempo, controlando os robôs que exploram Marte por exemplo.
Um outro segmento que a gente nunca se dá conta e que geralmente tem Linux envolvido são os filmes. Hollywood, mês passado ou retrasado se eu não me engano, a Hollywood se uniu a Linux Foundation para fazer uma espécie de campanha e base de estudo e ensino de software open source e uma pesquisa entre os estúdios que compunham a fundação lá de Hollywood e descobriram que 80% mais ou menos deles utilizavam software open source para produzir os filmes. De repente um filme que você gosta muito tem em algum momento o Linux envolvido na produção ou na renderização do filme ou algo do tipo.
E aí eles criaram essa parceria justamente para criar treinamentos para ensinar os estúdios para utilizarem softwares open source para produzirem melhores filmes gastando menos, porque é uma indústria milionária, mas quanto mais você conseguir fazer com menos melhor. É a lógica de empresa, enfim está em literalmente tudo que está aí na sua casa, no roteador, às vezes não é necessariamente Linux, mas é só outro open source também.

R: Você falando de filmes eu me lembrei que eu vi uma palestra da Netflix. E a Netflix para ter aquela escala absurda e atender a tanta gente chegar até a mexer no kernel do Linux para poder ter um sistema bem enxuto só para ter as características que ela precisa.
Então não necessariamente a posição do filme, mas toda infraestrutura como você também comentou antes a pessoa tem o Linux para saber se tem outras ferramentas de opções de open source?

D: O BSD também é usado bastante pela Netflix.

R: Isso eu sabia.

D: É até tem uma história interessante que eu costumo contar nas palestras que a história do Titanic, de 98, eu acho, senão me engano naquela época lá para contar de uma forma mais superficial eles estavam tentando produzir o filme basicamente e não estava dando certo por limitações de software e aí foi tentado com o Mac e não deu, ai foi tentado com o Windows e não deu e a alternativa foi tentar com o Linux, mas não deu também. Só que por ele ser open source permitiu que eles modificassem o software para funcionar.
E aí foi um dos talvez maiores cases de sucesso da história do open source sendo a ferramenta ideal para produção desse tipo de coisa.
Hoje em dia o pessoal fala muito no Blender, por exemplo, que é uma ferramenta fantástica e cada vez mais sendo utilizada e completamente Open Source. Você vê um programa daqueles e não consegue imaginar como aquilo pode ser grátis.
Deixa até eu encontrar aqui uma referência legal para passar para você que é quanto vale o Linux.

R: O Linux já foi para a Bolsa na época da bolha.

D: As pessoas tem que começar a encarar o Linux como o que ele realmente é. Uma ferramenta, é como se fosse o martelo. Ele não é a ferramenta que você usa para ganhar dinheiro, o marceneiro ele não ganha dinheiro com o martelo. Ele ganha dinheiro com a obra que ele faz com o martelo. É a ferramenta que você usa para desenvolver o seu produto ou serviço
Tem um artigo que eu fiz no blog em 2014 e dá para imaginar a escalabilidade e enquanto talvez tenha aumentado nos últimos cinco anos.
A Linux Foundation tinha comentado um estudo que eles tinham feito lá naquela época cerca de 3621 linhas de código relacionadas ao kernel por dia e 1,4 bilhões de dólares para escrever o kernel e mais de 10,8 bilhões de dólares para criar o restante do sistema, ou seja, de 1991 até 2014 para criar o Linux do jeito que ele era e se fosse a iniciativa privada e não a colaboração de várias outras pessoas, uma única empresa gastaria por volta de uns 20 bilhões de dólares mais ou menos. É um software de altíssimo nível técnico e de altíssima qualidade. E curiosamente é grátis e curiosamente você pode pegar ele para você, pra mim é o poder do open source realmente.

R: É muito absurdo você ver que cabeça quadradinha ali e como o mundo funciona de proprietária e você abre para entender um pouco desse mundo de open source, de Linux e ver quanto que isso influencia. Não tem como quem nunca ouvir falar pela primeira vez e não ficar maluco, achando estranho, achando que é bom demais para ser verdade.

D: Com certeza, acho que todo mundo. A gente tem noção de que coisas boas custam caro, mas a gente sabe que não é exatamente assim. Eu comparo nesse caso o pessoal fala isso comida de restaurante 10 estrelas e a comida da sua mãe, qual custa mais e qual é a mais gostosa. Valor não quer dizer que seja a melhor opção sempre.

R: Eu acho que a gente conseguiu pegar esse tema que pode ser muito complicado e simplificar. Parece que quem assistir ou ouvir vai conseguir ver que o software livre é uma opção para pessoa comum mesmo no seu dia a dia tanto para a empresa dela para não tomar uma multinha da Microsoft ou uma multinha da Adobe. Teve até uma faculdade que levou uma multa muito grande esses tempos.

D: Sim, no Rio de Janeiro e eles tiveram que leiloar o prédio da faculdade para poder pagar, foram 100 milhões. Claro que foi um caso muito longo.
Uma coisa que eu gosto de dizer quando eu participo desses bate-papo ou palestras é que muito fácil você pensar que um cara que tá mostrando essas coisas é contra software proprietário ou contra a Microsoft ou qualquer empresa que faça isso. Mas a verdade é que não eu acho que simplesmente as pessoas têm formas diferentes de como atacar o mercado e entregar produtos de qualidade para as pessoas. Se a pessoa acha mais útil gosta mais do Windows, vou fazer o que usa o Windows ou acha necessário ter uma ferramenta que precisa utilize. Mas o que eu procuro apontar para os empresários geralmente é você precisa realmente de Linux em todas as máquinas, em absolutamente todas as maquinas você precisa de um Windows na secretaria que vai abrir de repente um sistema web só, vai abrir um navegador e vai precisar pagar uma licença para o navegador de internet, esse tipo de coisa que não sabe se precisa. Você precisa utilizar uma ferramenta proprietária que não é sua para fazer uma coisa teve algum chat interno dentro da empresa esse tipo de coisa sabe então procurar abrir os olhos das pessoas para estas necessidades, por que no mundo do empreendedorismo especialmente você precisa ter uma base sólida e confiável, reduzir custos e aumentar a qualidade sempre. E através do software Open Source você consegue fazer muito disso também, onde for possível aplicar é claro e tem que analisar caso a caso.

R: Acho que muitas vezes as pessoas não entendem qual que é o problema que elas têm? Quais são os objetivos e vai pelo forma mais fácil ali e sinceramente as vezes não é o melhor.

D: Eu não conhecia esta ferramenta que a gente está usando, o Cloud, e não sei qual a procedência dela, mas independente se for proprietária ou open source . O que as pessoas geralmente usam para a comunicação. O Skype, independente se o Skype é ruim ou bom, se ele piora, ou se ele melhora as pessoas nem param para analisar essas coisas.
O pessoal usa muito WhatsApp, ainda que eu acho que o Telegram é 10 mil vezes mais superior em termos de funcionalidades, enfim às vezes falta tirar o cabresto, que deixa a visão estreita e você tira isso e começa observar as possibilidades que você tem o seu redor é muito mais provável que você consiga encontrar uma solução mais adequada para o problema de você tem do que aquela coisa limitada seguindo que todo mundo está sempre fazendo. Geralmente quem consegue se destacar no mercado e fazer algo realmente relevante é porque não está seguindo o mesmo caminho que todos mundo

R: No teu site tem dezenas de tutoriais, a pessoa vai e baixa lá e instala no computador depois acha quais são os melhores softwares para começar a trabalhar a partir do Linux.

D: Aa distribuição ela já vai vir preparado com todos os softwares básicos que você precisa que para fazer qualquer coisa, assistir vídeo, ouvir música, navegar na internet, fazer anotações, para trabalhar com planilhas, com documentos, com apresentações, com o File
Que é uma coisa mais avançada e já vem também e todo o restante, para editar imagens, ver fotos, organizar os arquivos, enfim e todo o restante que você vai encontrar geralmente em uma loja de aplicativos, Google Play assim só pesquisa e clica no instalar.
E no caso do Linux é igual do Mac você digita a senha da instalar o aplicativo e é isso basicamente ela não tem muito mais que fazer na verdade se você fosse comparar é mais simples que no Windows até em termos de simplicidade e organização das coisas pode não ser tão habitual às vezes como eu falei a gente usa tanto as vezes uma ferramenta ao longo dos anos que aparece simples quando eles comparam com outra mas com certeza não vai ter não vai ter muita dificuldade não.

R: Eu vejo até para a inclusão digital. Por que que a pessoa novinha ou até mesmo o mais velho está aprendendo a lidar com o computador e ainda não tem a malícia, a inteligência e é muito fácil pegar vírus. Então você tá com uma máquina com Linux que a probabilidade de pegar vírus é muito menor é muito positivo.

D: Sim eu tenho uma parceria muito grande, uma amizade com pessoal que desenvolve um sistema operacional baseado em Linux também chamado Wendless, esse sistema operacional, é meio que norte-americano e brasileiro, as pessoas que desenvolvem tem base nos dois países, mas hoje ele se espalhou pelo mundo e não como em países emergentes, Índia e o próprio Brasil que até certo ponto são países sub desenvolvidos especialmente no que tem de Educação e Tecnologia e eles buscam entregar para as pessoas que não têm acesso à internet um sistema operacional completo com conteúdo e que as pessoas como a gente aqui com você que tá ouvindo um vídeo no Spotify e outras pessoas estão vendo no YouTube. As pessoas que não tem essa capacidade eles tentam atender e é um sistema voltado para educação com um design pensado em computadores que as crianças conhecem, esses computadores são os smartphones.
É meio louco pensar para você que mexe com computador a vida toda mas o contato de muita gente com a tecnologia dos anos 2000 em diante é o celular e eles nem tiveram um computador em casa, então o sistema operacional que eles criaram vai nesse sentido para ser utilizado como ferramenta educacional para as crianças.
Se eu não me engano eles tinha feito uma pesquisa, um estudo a respeito de conectividade ao redor do mundo e parece que há cerca de 7 a 8 bilhões de pessoas no planeta e ainda cerca de 5 bilhões de pessoas não têm acesso de qualidade a internet. E é um absurdo você pensar nisso porque parece que todo mundo tá conectado de alguma, forma mas se você levar em consideração as pessoas que estão isoladas e as pessoas que não têm uma boa conectividade também tem essa questão. Não adianta você ter internet se você não consegue consumir nada ou produzir nada através dela. Então é justamente atrás desses nichos que eles foram mais uma vez o Linux é utilizado para ser distribuído de forma gratuita para essas crianças, para pessoas que precisam dessa acessibilidade, uma iniciativa que eu gosto bastante

R: Eu lembro que teve uns projetos se eu não me engano em 2008 em Joinville, na minha cidade que o pessoal pegava os caça-níqueis que eram capturados pela polícia e desmontavam, formatavam e colocavam o Linux. Ubuntu, Curumim as versões e davam para escolas públicas, carentes e funcionava bem e estas crianças tinham já um primeiro contato. Já faz uns 10 anos mas quem recebeu foi bem positivo.

D: Exatamente. É uma forma de tornar a tecnologia acessível e as vezes a gente deixa passar esse ponto despercebido, mas tecnologia open source é vanguarda, você consegue ver muitas novidades chegando no mundo open source que só muito tempo depois às vezes são implementadas em sistemas proprietários.
Uma coisa que quem é de fora não imagina, por exemplo, já viu o Windows 10, provavelmente visual dele achou bonito o Windows 10. Então o visual dele é muito inspirado no cade plasma que é uma das interfaces que você pode utilizar no Linux, que foi lançado uns dois anos antes. Se você gosta deste visual usando algo semelhante há mais tempo se quisesse ou outra ferramenta que só veio para o Windows 10, aquele lance dos múltiplos desktops sabe que você tem várias áreas de trabalho e no Linux isto existe desde 1998, de forma diferentes, mas existe. A parte ali do plano de ser transparente mais uma vez o Linux O Windows Vista lá naquela época com aqueles vídeos da área de trabalho e de novo uns dois anos antes já tinha algo do gênero.
Até hoje você tem interface que consegue utilizar ainda esse tipo de ferramenta e a ideia de ter um menu lotado de aplicativos que você clica e enche a tela e mostra as coisas assim, isso o Linux tinha também há muito tempo.
Enfim você vai encontrar pessoas como pode ficar aberto com a ideia na cabeça dizendo assim eu vou fazer porque não tem nada que me impeça não precisa pagar licença eu posso fazer porque eu quero e pronto não tem ninguém para te dizer nada e dali sai muitas ideias boas que às vezes foi implementado em outros sistemas e o negócio que é para você dar risada, a Apple anunciou o Mac, o Mac S é um sistema excelente e eu mesmo já utilizei por um bom tempo, aí a novidade deles é o modo Dar mod que deixa a tela escurecida
Eu consigo lembrar de quantos anos faz que no Linux algo assim, as pessoas gostam e olha que loucura agora o Windows 10 tem isso também nessa última atualização.
São coisas que já estavam na vanguarda open source há muito tempo e outra novidade no Windows 10 que saiu essa semana aí também é que agora além do modo dark você tem no Windows Explorer as abinhas e isso tem no Linux há décadas também.

R: É porque o modelo de trabalho é muito diferente permite uma inovação, é muito dinâmico e não é tão burocrático.

D: Não são todos os casos, mas digamos assim como é um produto geralmente a empresa está fazendo em um produto proprietário ela tem que gastar e pagar pessoas para fazer alguma coisa lançar no mercado e ver o feedback. No mundo Linux como é de graça as pessoas podem baixar, emprestar os sistemas e você geralmente consegue desenvolver via modo colaborativo com outras pessoas que simplesmente querem ou te patrocina é mais fácil entrar em contato com o usuário final, ter o feedback e se mudado ou ser descartado, e essa é a lógica, é o chamado modus operandi do open source se desenvolver. Você lança um negócio para ele ser criticado e ser melhorado e esse modelo é tão importante, tão útil e até mesmo o pessoal do proprietário, as empresas estão procurando fazer esse tipo de coisa.
No caso do Windows 10 o projeto insyderz, você dá acesso prévio a pessoas que querem ajudar no desenvolvimento mesmo que não seja open source, mas tenha esse feedback e o produto seja melhorado.

R: É muito legal que as práticas desse mundo você também consegue aplicar na sua empresa que é fechada que não tem conexão?

D: Até certo ponto, mas consegue a ideia a ideia é poder testar antes.

R:Acho que ficou claro assim o que que é um software livre e a importância dele para o mundo acho que assim está redondo já na cabeça de quem está ouvindo e quem está vendo, e só finalizar tem outros exemplos de software livre?

D: Claro, você tem Firefox, Cripta, um excelente para desenho e ainda tomando conta do mercado também, temos o Google Crome até certo ponto também é open source porque ele se baseia no projeto Chromium S5 e o Chromecast.da a Google é baseado no Chromium O que são diferenças basicamente é que a Google coloca filme de coisas dela tecnologia da Google, dando exemplos a mais a base open source também então Google você usa e tem muita tecnologia pegue o seu Android vai lá em sobre e olha o kernel que ele está utilizando.
Tem uma parte lá de licenças open source ou licenças livres, coisas para você ver o quanto de software livre tem rodando ali, Audacity, uma ferramenta que eu uso todo dia.
O telegrama é open source, o back end do Whatsapp é open source, Na verdade o que está por trás dos serviços que você acesso muito provavelmente tem softwares open source.
Tem o Windows não sei porque mas geralmente tem alguma distribuição Linux e você vai comprar algo e tal assim até curiosamente quando tinha ido assistir o Avengers e saiu não estava imprimindo ticket e daí de repente deu uma tela azul. É por isso que não estava indo lá na tela azul do Windows.
Deixa eu abrir aqui o meu menu para poder dizer mais alguns aplicativos que o pessoal pode utilizar. Sige Light é um cara que eu mostrei que funciona com o Linux também e ele usa componentes do open source em algumas instâncias, Scape para desenho em vetor, Corel Draw. Mas mesmo que você use Linux você pode utilizar programas proprietários pesados do mercado por exemplo, o Premier para o pessoal que realmente trabalha no nível high end, por mais que seja uma boa ferramenta para quem faz vídeo para o YouTube, por exemplo, não é esse software, não é o adequado e raramente saber como o filme foi feito editado.
Tem o Davinci para edição de vídeo, para tratamento também que é Linux. Você tem as suas contrapartes open, Networks para edição de vídeo também, as contrapartes open source que seria o nytron que seria o núcleo e faz a mesma coisa, mas é grátis.
Então realmente está quase onipresente na tecnologia seja na front-end seja no back-end em algum momento aí você vai tá lidando com o Linux ou com software open source mesmo que você não queira, mesmo que você não saiba e existe um motivo para isso é o motivo é a confiabilidade e a maleabilidade. E se fosse resumir em um termo leigo é porque funciona, simplesmente assim é algo confiável.

R: E agora o momento Jabá e já pode dizer o primeiro passo é acessar o site.

D: É uma forma boa te conhecer algumas coisas a respeito e tem muitos dos canais, muitos sites para você visitar, pesquisar. O Diolinux.com ,br é um blog que tem uns 8 anos já e o canal tem 05 anos mais ou menos. No blog você vai encontrar mais de 4.000 a 4 500 artigos e o canal tem uns 1100 vídeos por aí. E é relacionado à tecnologia de uma forma geral, mas com muito mais foco no open source e você encontra a matéria sobre como fazer as coisas, quais aplicativos você usa para tais coisas, como você instala como você configura que é geralmente a dúvida das pessoas aí outra coisa que vale a pena falar para finalizar também que poderia se encaixar no tópico anterior. O lado do open source que ele tem tomado conta do Mundo dos Jogos agora, também estão as engines, os motores e jogos estão começando abrir código também. Então dependendo aí do que se você for jogar você não vai se preocupar mais não sei não sei o que é muito específico que pergunte não tem suporte tá Dá um momento bom para se migrar para ele sobre atestado pelo menos assim dá um momento de robustez legal.

R: E tem mais uma coisa que você gostaria de falar até o momento Jabá, alguma coisa que queria vender?

D: Na verdade a gente tem muita coisa para oferecer, mas eu acho que uma coisa legal a se fazer é que eu não quero vender nada para você pelo menos não agora neste primeiro momento. Gostaria que você mudasse a sua mentalidade, você que está ouvindo até aqui e eu sei que é difícil às vezes alguém que é meio do contra esse tipo de coisa houve até esse momento mas caso você começou por curiosidade, gostou da conversa que chegou até aqui eu recomendo que você acesse esses dois meios principais. A gente tem curso também tem parceria com o Udemy, uma curadoria lá que a gente faz e os cursos que a gente mais confia para você poder conferir, a gente tem loja vende camisetas, entre outras coisas mas o mais importante é você sair daquele ponto de inércia tecnológica que você simplesmente segue o que a maioria está fazendo e de repente encontrar uma solução que agiliza o seu negócio e reduza o seu custo se mantendo dentro da legalidade e honestidade.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre para a minha lista e receba conteúdos exclusivos, com prioridade

Junte-se a mais de 7 mil pessoas