Todo mundo tem um plano até tomar 3 tiros na cabeça

Artigos

Todo mundo tem um plano até tomar 3 tiros na cabeça

Robson Cristian
Escrito por Robson Cristian em 14 de junho de 2019
Junte-se a mais de 7 mil pessoas

Entre para a minha lista e receba conteúdos exclusivos, com prioridade

A história de um homem que desafiou todas as probabilidades e hoje ajuda pessoas a se reencontrarem na carreira após grandes traumas

Em São Francisco do Sul, pertinho da minha cidade natal, Joinville.

De noite, em frente a casa do irmão, quando ia buscar suas duas filhas pequenas.

Uma moto. 4 tiros. O primeiro na barriga e os outros 3 na cabeça.

A chance de alguém sobreviver após isso é mais difícil do que ganhar na Mega Sena da Virada.

Não existe probabilidade, sendo realista. Apenas milagre.

Essa é uma parte da história do Eduardo Anton. Ouvi na última terça da boca dele.

Eu me surpreendi por ainda não ter conhecido e escrevi esse artigo para impactar mais pessoas.

Essa história precisa ser conhecida pelo mundo todo!

-Ana Maria Braga, chama o Edu!

-Danilo Gentili, chama o Edu!

“Todo mundo tem um plano até tomar um soco na cara”

Essa frase do Mike Tyson nunca fez tanto sentido para mim.

O Eduardo trabalhava desde os 13 anos na transportadora da família e se preparou a vida toda para assumir o negócio.

Teve uma boa formação acadêmica, desenvolveu conexões valiosas, aprendeu 3 idiomas e adquiriu uma experiência enorme com os anos todos.

O dia de assumir a empresa estava chegando. Os seus pais logo se aposentariam.

E, o seu terceiro filho estava a caminho. O primeiro menino.

Tudo nos trilhos até que…

Bom, você já sabe o que aconteceu!

“Todo mundo tem um plano até tomar um soco na cara”

"Todo mundo tem um plano até tomar um soco na cara"

A vida dele precisou de adaptações.

Olhando para ele na palestra, é quase imperceptível que esse homem passou por tudo o que passou.

Isso que eu estava perto dele, como é possível ver na foto de capa do artigo.

Mas, ele já não é o mesmo. Seu raciocínio rápido de diretor financeiro não se manteve. Parte da sua visão também não.

Como ele disse, continua inteligente, mas não é tão rápido quanto antes.

Hoje me dia, um email pode levar 1 hora para ser escrito. Mas, isso não o impediu de escrever um livro.

Quantas pessoas que estão 100% e nunca passaram da primeira página do livro que sonha em escrever?

Essa história traz muitas lições!

4 lições da história do Eduardo

Você normalmente não diz: “conheci um cara que tomou três tiros na cabeça e hoje ajuda pessoas a se reencontrarem na carreira após grandes traumas”.

Na real, você nem diz que uma pessoa que passou por isso continua viva.

Tudo isso é surpreendente. Milagroso, por definição.

Eu tirei incontáveis lições da história do Eduardo.

Essas são algumas:

1 – Não desanime. Para Deus, nada é impossível.

Em diversos momentos, pode parecer que o mundo vai desabar, mas se um cara sobreviveu a 3 tiros na cabeça, então o seu milagre também pode acontecer.

Um exemplo assim pode dar esperança para muitas pessoas.

2 – O orgulho só atrapalha. Peça ajuda.

Fez muita diferença na vida dele o acompanhamento psicológico e psiquiátrico.

Ele foi um tanto empurrado pela esposa.

Mas, se não tivesse ido, provavelmente não teria essa história de superação para contar.

3 – Você consegue fazer muito mais do que imagina

Eu já comentei que é um desafio para ele escrever emails, ainda mais um livro.

Isso exigiu um grande esforço e passou por ajustes de um amigo jornalista.

Eu lembro quando voltei com o blog e não passava de um parágrafo. Totalmente enferrujado. Isso nem se compara ao desafio dele.

Sempre dá pra ir além. Vale um esforço!

4 – Retribua

No processo de melhoria, ele descobriu o coaching.

Com a sua bagagem empresarial, ele poderia dar coaching para executivos, entre outros nichos altamente lucrativos.

Mas, ele preferiu focar em pessoas que também passaram por grandes traumas.

Além disso, ele doa toda a renda do seu livro para entidades beneficentes e faz visitas frequentes a um lar de idosos da cidade.

Ele entendeu o valor de retribuir as bençãos recebidas.

De São Chico para o mundo

No bate-papo, o Eduardo falou que seu maior sonho é que sua história seja conhecida nacionalmente para inspirar muito mais pessoas.

Compartilhe com seus amigos e familiares. Quem sabe a gente vê ele num dia desses no The Noite ou no Mais Você!

E, se você conhecer um grande editor de livros, mande para ele também!

P.S: O Eduardo deu uma entrevista ao jornalista Cacá Martan (RIP) da JP Joinville há alguns meses.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre para a minha lista e receba conteúdos exclusivos, com prioridade

Junte-se a mais de 7 mil pessoas